Algum programador para game?


#1

POLITIKÒS ASSEMBLY - Gamificação Educacional

Trata-se um um game educacional mmorpg para multiplataforma, multidisciplinar para o ens.médio e graduação das áreas de políticas públicas, humanas e sociais (escolas públicas e privadas do estado de SP) enorme potencial de mercado… Desenvolvi toda a estrutura sequencial do game, agora procuro alguém - programador - que goste de games e se interesse pelo projeto (sem neuras) para formalizarmos uma parceria produtiva. Sou Jornalista, Professor, Escritor e Cientista Político.
Grato.
(volmerego@gmail.com)


#2

Volmer, sou desenvolvedor e minha intenção aqui nem é a de me candidatar para participar do projeto, pois de fato não tenho condições neste momento devido ao volume de trabalho que estou gerenciando, mas posso te ajudar com um papo, pra pelo menos te orientar em algumas coisas, caso você queira.

Tenho estudado desenvolvimento de jogos faz algum tempo, programo usando uma engine que muitas empresas famosas de jogos utilizam para desenvolver games de PS4 e XBox One. Isso do lado do client side. Do lado server side é outro universo que tenho pesquisado escrevendo em C++.

O que me chamou a atenção foi o fato de que você está querendo fazer um mmo e cara, isso é complexo pacas! Eu não sei exatamente o tamanho do teu projeto, mas acho que seria legal você fazer uma boa avaliação técnica dele, montar um escopo detalhado e buscar por recursos que patrocinassem o desenvolvimento. Fazer mmo exige um esforço enorme, se for em 3D, mais complexo ainda. E geralmente são projetos que levam bastante tempo, alguns anos com uma boa equipe.

Não quero te desencorajar, pelo contrário, eu curtiria muito ver um bom projeto de mmo ser realizado aqui no Brasil, mas sinceramente, pelo que vi até hoje na minha experiência, você precisará de um bom time de desenvolvedores, tanto do lado client como server, animadores, designers etc. Fora a parte de infra estrutura de servidores.

Acho que o forum pode ser legal pra discutir um pouco da estrutura necessária para a produção de um game mmo. Se outros desenvolvedores estiverem afins de continuar o papo, pode ser bem produtivo pra esclarecer não só pra você, mas para outros interessados.

Abs.


#3

Foi justamente esse o motivo de eu não ter respondido a esta postagem do @volmer. Ele apenas disse que tem um projeto e desenvolveu toda estrutura sequencial do jogo, mas não especificou nada, apenas deixou um e-mail para contato. Aparenta que ele só quer pescar “parcerias” e se comunicar por e-mail e não discutir no fórum e isso é tanto quanto uma gafe e certamente nada produtivo.

Quando você diz que desenvolveu “toda a estrutura sequencial” o que quer dizer com isso? Quer dizer que escreveu o roteiro? Quer dizer que fez a arte conceitual? Que compôs todas as músicas e efeitos sonoros? A parte gráfica: modelos, texturas, sprites, shaders e etc. estão prontos? Ou será que tudo isso já está pronto e programado e o seu pedido é para o trabalho no lado servidor?

Qual engine será usado ou você irá trabalhar em um engine próprio? A mesma pergunta cabe ao servidor: Você irá utilizar um servidor pronto ou irá trabalhar em um servidor próprio? Que projetos de jogos você já fez anteriormente? Não precisa ter sido publicado ou vendido apenas mostre alguma coisa, pelo menos um Tetris que você tenha feito.

Não dá para entender sem detalhes, se você precisa de ajuda em algo, por favor, permita-se tempo para detalhar seu projeto e assim abrir para discussões, certamente com algo mais claro, será mais fácil aparecer alguém interessado.


#4

Galera agressiva…Ok, sksdutra sejamos políticos. Pescador de parceiros - legal, sou e estou: aliás, por indicação-orientação do editor do fórum. Mas, sardinhas não me interessam. Minha área de atuação não é técnica, portanto, tenho pouco ou nada acrescentar ao fórum e às suas especificidades.

Comecemos assim: não sou programador - então todo o greco-aramaico que vc desembainhou e esgrimiu na minha frente não quer dizer nada… são só palavras, mas, gosto dos ninjas, tem atitude, medieval pacas, e ainda assim humanos, não importa o verniz tecnológico, cultural. Bons disfarces. Caçando como todos…

Passemos a ideia: - sim, fiz o roteiro, fiz algumas artes (conceitual básico - é um game sobre política, educação política e conceitualmente não é para atrair crianças, embora uma de suas intenções - aspectos punctuais (já leu Roland Barthes? sic) seja apelar para o lúdico de cada um, trilha sonora (maestro arranjador) - tem um fundamento multidisciplinar, pois abarca várias áreas do conhecimento humano e social (longe do binário tecnoeletrônico da computação), é uma game do tipo desafio (vários ao mesmo tempo), acerto e prêmio - continua e evolui - meio como a vida, portanto, não me preocupa se faltar energia elétrica ou acabar a bateria - ele poderia ser jogado com cartas, o ferramental porém tem de se adequar à modernidade, aceito! Por isso entrei…

E por isso também busco programador (es) - time, equipe, crew, como queiram… Desenvolvi um modelo de negócios e fiz tratativas com empresas da área de educação que se interessaram, mas querem ver sair do papel.

Apreciei seu questionamento porque não havia pensado seriamente nos dois lados: cliente e server sides. Estou limitado pelo meu nenhum conhecimento sobre programação, e por isso mesmo pensei apenas do lado do jogador e do desenvolvedor da ideia (criei assim 3 jogos, mas nenhum deles saiu do papel).

O que fazer, o que escolher, quais desafios aceitar, onde e como buscar recursos, o que oferecer aos colegas da mesma equipe e aos adversários, níveis de interatividade etc… Entretanto, a complexidade que se interpõe agora à minha lógica e raciocínios estão além de minhas aquisições. É uma caixa de surpresas: como abrir uma mala de instrumentos - não sei qual usar para a ou b situações.

Quando me questiona qual engine vc utilizará, a minha primeira reação é imaginar, sem pesquisar no “wikipeida”, o tipo de plataforma. PC é o que imagino. Servidor próprio? Alugo um backbone? É isso? Errei? E daí tenho a obrigação de acertar? Sou educador (descobri que saber perguntar é a porta de entrada do conhecimento), e jornalista e cientista político, e estou à cata de uma ferramenta e um ou mais construtores de ferramentas (como os antigos ferramenteiros e metalúrgicos da primeira revolução industrial, lembra?) para desenvolver a possibilidade de expressar estes conhecimentos e traduzi-los para alunos (do médio à graduação nas áreas supracitadas). Um bom técnico será capaz de entender isso.

Estou há mais de dois anos nesta batalha, e já saquei que preciso estudar (e vou) para diminuir a dependência e os desentendimentos tão cansativos.


#5

Grato Marcos pelas ideias.
De fato, não me haviam ocorrido tais dificuldades por não ser da minha área de atuação profissional. Digamos que estou como um diletante apreciando a possibilidade de usar do ferramental disponibilizado pela informática para ativar centros de produção de conhecimento, a partir do entendimento de suas necessidades - ou seja, embora haja uma avalanche de games interativos, piusoc, bem poucos mesmo s´~ao aqueles


#6

oops! apertei alguma (s) tecla (s) errada (s)!.. desculpe-me!

Bom, eu dizia que meu interesse é simples: desenvolver um game para alunos do ens. médio e graduandos das áreas de humanas, sociais e públicas, de forma que eles possam aprofundar seus conhecimentos, de forma lúdica, numa área de concentração de conhecimento que é limitada pela conjuntura. E o que busco é um (ou mais de um) programador para tirar do papel, e que a partir de jogabilidade estipulada seja atraente o suficiente para captar parceiros comerciais e recursos.

O plano de negócios existe para isto, abri várias frentes em faculdades, escolas particulares, e uma universidade federal… Mas, é preciso que o game entre na vida do aluno e que ele aprove…Os testes inciais feitos em escolas, de forma oral, expositiva, com técnicas básicas - power point - slides, pdfs, questionários etc deram muito certo, e o potencial é enorme, primeiro porque ele é gratuito (embora avance no imaginário do player o o incite a evoluir com a aquisição de bônus - pagos - baratos, mas pagos - e o ganho se dá pala quantidade, como os jogos que já existem na internet)…

Tecnicamente, é em 2D - três telas de fundo fixas ou com movimentos mínimos com alguns sons e músicas, que se alternam e remetem a outras telas, mas tem detalhes que não sei explicar na linguagem específica como o surgimento de um prêmio ocasional que surge após um determinado tempo de jogo, uma janela nova que se abre oferecendo recursos e ou criando aberturas para novas e inusitadas situações, etc… A ideia é estimular o jogador, desafiá-lo, oferecer vantagens, fazê-lo raciocinar se aquela é a estratégia certa para aquele momento, e evoluir passando para uma nova fase - são 4.

Ele escolhe o que quer ser (tem uma avatar a sua livre escolha), ele deve responder a uma série de pré-requisitos e definir perfil, criar uma áurea de funcionalidade de seu personagem, atrair colegas (convites) e lhes oferecer benesses (um prêmio por participação etc) que o elegerão para ser um ator participante no game - esta é a prévia, antes de entrar no jogo propriamente dito - na batalha estratégica que o levará ao novo patamar evolutivo - nova fase - nova situação hierárquica, novos desafios, assim até o último patamar - onde ele se tornará uma espécie de consultor atendendo a todos aqueles que chegarem atrás de si - obviamente ele concorrerá sempre com os outros jogadores (daí o multimassive)…

É isso.
Grato pelas orientações e dúvidas…


#7

Legal, @volmer. Acho que o caminho é meio este mesmo, termos um pouco mais de noçãodo tipo de jogo que você está querendo fazer para então discutir a estrutura necessária pra isso.

Uma pergunta que te faço pra tentar clarear ainda mais: no teu jogo os usuários que estarão logados e jogando simultaneamente, todos eles usufruirão do mesmo espaço do jogo? Quero dizer: se 100 usuários estiverem online e na mesma fase, todos estes 100 interagem ao mesmo tempo? Eles se enxergam simultaneamente? Se eu estivesse logado, eu veria os 99 outros usuários lá com seus avatares, se mexendo e poderia interagir diretamente com o personagem de cada um deles?
Ou na dinâmica do jogo, estes usuários compartilham um ranking comum, mas a jogabilidade se dá com grupos menores de jogadores? Por exemplo eu teria dois amigos me ajudando em uma fase e não veria todos os outros usuários, ainda que o ranking fosse entre todos os usuários? Ficou clara a questão?
Esta pergunta por exemplo dimensiona muita coisa sobre o desenvolvimento.

Uma outra coisa que você colocou é que o jogo não precisa ser em 3D, isso também diminui bastante o esforço e preço do desenvolvimento.

Por fim outra dica que te dou, uma vez que o teu universo de conhecimento não é o da tecnologia: tente encontrar referências. Por exemplo uma referência visual, uma referência de movimentação dos avatares dos usuários, uma referência de jogabilidade de uma determinada fase, e por aí vai. Seria bom pra você conseguir dimensionar o custo de um projeto como este apresentar exemplos de como você imagina que o teu game irá funcionar, e pra isso seria legal que você pesquisasse na internet ou idealmente que começasse a jogar, para poder dar as referências que serão necessárias na avaliação dos desenvolvedores.

Acho legal você ter clareado que o teu universo de conhecimento não tem nada a ver com tecnologia, assim fica mais fácil para os conhecedores de tecnologia tentarem te ajudar com um linguajar mais adequado.

Abs.


#8

Parte 1: Resposta

@volmer, Não foi minha intenção ser agressivo com você, mas já que você deu abertura, não serei tão comedido desta vez. O fato é que, com sua exposição inicial você não iria pescar nem piabas, quem dirá as sardinhas que tanto despreza, meus questionamentos foram no sentido de te ajudar a expôr a tua idéia e não para você me pintar como um ninja-medieval-especialista-em-esgrima-grego-aramaica-disfarçado-de-cyberpunk-que-acha-que-sabe-alguma-porra-de-tecnologia, nestes termos, o agressivo aqui foi você, seu sentimento de agredido é um mero reflexo da sua própria incompetência e negligência.

Você teve mais de 2 anos lutando pelo seu projeto, porém, engavetou um dos principais pontos: A tecnologia, por isso, falar para você de um engine parece uma esgrima greco-aramaica com intuito meramente exibicionista, quando na verdade é jargão comum na cena de desenvolvimento de jogos independentes e, em mais de 2 anos, você deveria ter pelo menos essa informação e vou ser mais direto: Enquanto você achar que pensar no aspecto tecnológico do teu jogo eletrônico “não quer dizer nada… são só palavras” e que quem tem que entender disso é o programador, seu projeto está fadado ao fracasso e você irá passar mais alguns anos até entender isso, enquanto cria mais 500 jogos no mundo das idéias ou o coitado que irá cuidar dessa parte sofre para tentar traduzir a complexidade do teu pensamento em código.

Não ser programador, isso sim não quer dizer nada, não é argumento, é apenas uma forma de justificar algo que você não sabe e não tem a mínima vontade a aprender, apesar de estar precisando urgentemente disso! Hoje existem “engines” (ferramentas usadas para desenvolver jogos - vou expôr algumas quando me desvencilhar desta resposta chata que sou obrigado a escrever) que não exigem nenhum conhecimento de programação, e mesmo que exigissem, cara… você teve mais de 2 anos, paciência… Quer um exemplo: Painter’s Guild este é um jogo feito por um professor de história da arte brasileiro, que tinha a motivação de ensinar o conteúdo de forma mais lúdica para os seus alunos, a motivação se tornou um negócio. Sua motivação é forte assim?

Uma das partes mais interessantes da sua resposta é quando você diz que já “sacou” que precisa estudar, então faça isso! Em mais de 2 anos já deveria ter feito!

Parte 2: Explicações

Engine: Quando questiono qual engine irá utilizar ou se irá criar um engine próprio, me refiro ao programa que irá utilizar para criar o seu jogo ou se irá criar um próprio: Hoje em dia existem vários engines para várias necessidades, mas sempre há aquele que prefere trabalhar direito com o código ou criar o seu próprio engine.

Exemplos:

Todas elas são gratuitas e tem uma versão paga e/ou modelo de assinatura. Construct 2 e Stencyl, você não precisa saber programar, só racionar, elas utilizam o modelo de programação visual, onde você vai utilizando blocos lógicos para gerar o código do jogo, como no projeto Scratch do MIT.

Cliente e Servidor:

Citei cliente e servidor apenas porque você afirmou que se tratava de um MMORPG, nesse caso, você teria que ter um programa cliente, que é o jogo compilado e distribuído para o teu usuário, é onde está tudo que é relacionado à lógica e interface, ou seja, é o jogo de fato.

Já o programa servidor é responsável por se comunicar com o programa cliente através de um protocolo e através deste protocolo ele grava as informações necessárias em um banco de dados, para que estas não se percam com o tempo, por exemplo, um jogador sobe 1 nível em experiência, o cliente dispara uma mensagem para o servidor e este grava essa informação na conta do usuário e no personagem específico, assim quando este “deslogar” do jogo, quando retomá-lo o programa cliente irá disparar um pedido para o servidor e este irá enviar as informações necessárias sobre o progresso daquele personagem, em suma, o nível adquirido será mostrado.

Você pode programar um servidor para o seu cliente criado com o engine ou pode usar já feito. Um dos mais famosos é o eAthena, ele basicamente implementa o protocolo de MMORPG bem famoso: o Ragnarok Online, mas pode ser usado para jogos novos, foi usado, por exemplo, num MMORPG gratuito e de código aberto chamado The Mana World.

Mas claro que você precisa pensar na demanda de usuários para o teu projeto e só mais tarde você irá pensar no hardware, por isso, quando falei sobre servidor, falei no software servidor, na implementação do protocolo e não em backbones da vida.

Parte 3: Endgame

Às vezes professores ensinam tanto que esquecem que precisam aprender, teu projeto é muito bom, só te faltou humildade para entender que você precisa aprender, não basta você ter aí um bom roteiro e um plano de negócios, meu caro, é preciso que você saiba como implementá-lo, ter uma boa equipe e você negligenciou estas coisas por anos e agora não teve nem humildade e nem capacidade de responder questionamentos simples, eles te parecem esgrima greco-aramaica.

Este é meu último post neste tópico e eu espero que aproveite, não tenho interesse e nem tempo para discutir meramente por discutir, leia o que escrevi com atenção, divirta-se e quem sabe um dia você me agradeça, não que eu precise ou queira isso.


#9

marcostrinca, as tuas perguntas são importantes.
Sim, estarão logados, e jogando, uns contra os outros, ou apenas interagindo, as ‘equipes’ se ajudando etc… Assim espero. Mas, acho que a ideia é não ver os outros 99 usuários, embora vc possa trocar infs com eles, visitar seu local de jogo e lá ver a pontuação… simplificações técnicas, acredito.

Por equipe, no meu jogo, eu entendo um grupo interessado (nº x) e unido em torno de um (1) jogador líder que conseguiu atrair para a sua esfera de interesses estes jogadores que foram por ele - líder - convidados. Na verdade qq um é líder (ele é só o cara que te convida para fazer parte do grupo dele, e, embora isto tenha importância e valor atribuído - quem tem muitos convidados que aceitaram jogar ganha pontos/bônus - mas, tudo o que ele conquistar ou tem etc, qualquer outro jogador, do grupo dele ou não, também pode ter/alcançar.) Será que consegui explicar?

Tem 2 ou 3 jogos que podem servir como referências no que diz respeito à dinâmica de apresentação e o modo de jogar: Big Farm e Grepólis resumem bem a dinâmica. Jogo faz tempo… Na verdade tudo começou com Sim City, mas ali está apenas a questão físico administrativa do jogo - estou propondo avançar em situações de políticas públicas e afeitas à Sociologia, História e Economia, cuja lógica é operada a partir de pressupostos idiossincráticos como na própria Política (a arte de argumentar com raciocínio formal e a utilização das sutilezas do espírito para evitar a guerra), daí o inusitado do game. O jogador decide momentos e estratégias, como e com quem faz alianças, troca informações, de quem e para quem recebe e doa bônus, ajuda…com quem faz alianças, estas coisas da Política - só que há ênfase nas ações éticas pq passar de uma fase p outra é eleger-se.

Você inicia um projeto, evolui, conquista pontos e bônus e avança, no tempo determinado pelo jogo, para uma nova fase - a passagem para a nova fase se dá na medida em que todos os requisitos daquela em que o jogador se encontra sejam preenchidos. Coisa do tipo: completou estes 10 passos passe para o seguinte, já numa posição hierárquica superior. Bem básico…

É isso… E acho que o skfdutra, embora, não tenhamos atingido um diapasão ou denominador suficiente sem o risco de ferir suscetibilidades, mandou umas dicas e saberei aproveitá-las.
Grato.
Sds cordiais


#10

Voto nesse tópico como canditato ao tópico mais bizarro de 2015!


#11

voto na obs do J (joão verde) como o mais descarado voto de indiscrição, preconceito e consequente discriminação, o que caracteriza, além de bizarrice, uma inquestionável incapacidade de lidar com diferentes… o fato de ele ser um ‘gênio’ da matéria ou talvez ‘Eugênio’ da raça ascende na entrelinhas de sua desnecessária observação naquilo sobre o qual não tem o menor conhecimento.


#12

Nossa… alguns dias fora e os ânimos ficaram exaltados :smile:

Calma amigos, vamos deixar a testosterona baixar um pouco … brincadeira, brincadeira … amigo… amigo …

Bom já que o assunto é games antes de mais nada todos aqueles que querem um dia pensar, ter ideias, participar, projetar, trabalhar, desenhar, sonhar, etc com games devem começar pelo início.
Por isso que eu indico Regras do Jogo ( http://www.blucher.com.br/livro/detalhes/colecao-regras-do-jogo-213/arquitetura-e-design-117 ) leitura mais que obrigatória … ahhh o preço? Sim vale cada centavo.

E @volmer sobre as parcerias nessa área … você tem Netflix? Assista Indie Game. https://www.youtube.com/watch?v=GhaT78i1x2M um excelente documentário sobre desenvolvimento de jogos … hard muito hard … sou da área e digo que terá muita, ou melhor, enorme, ou pensando bem, gigantesca dificuldade de encontrar pessoas que estejam disponíveis para entrar no seu projeto… mas não desista :smile: … sugiro que tenha um pré projeto formatado para tentar vender sua idéia.

E… raspando o tacho … será que antes do programador você não deveria procurar um Game Designer?

Abraços a todos … e vamos voltar a nossa cerveja gelada :wink: