Decepção.... Automação industrial


#1

Tem algumas coisas que são um absurdo neste pais, que fazem com que nos indaguemos sobre o pais em que vivemos.
Fiz um orçamento para uma empresa de um painel de comando que precisava de 64 entradas analógicas e 64 saidas digitais bem fui cotar o CLP e IHM e demais componentes necessários para tal aplicação e qual foi minha surpresa ao fazer isso somente o CLP da SIEMENS 47 mil reais o da Allen Bradley quase mesmo preço. um cartão de memória de 12 mb para o CLP 980 reais, um trilho de montagem de aluminio quase 300 reais isso é um absurdo! No final o painel de comando fica por pouco mais caro que a maquina a qual se destina. O cliente que com certeza acabou regeitando o trabalho.
Isso me lembra das impressoras 3d que são uma tecnologia antiga da década de 70 e que até uns anos atrás custava um absurdo de 300 mil as mais baratas hj graças a cumunidade maker fez com que hj qualquer um faça a sua por 2 mil ou menos.
Hoje em dia é possivel ver inúmeras aplicações industriais feitas com placas dedicadas e isso vai crescer cada vez mais. Durante um bom tempo deste a época em que fiz faculdade tive preconceito com arduino, proibido nas aulas de microcontroladores da facu. Hj isso é um caminho sem volta, viva o arduino pq através dele muitas pessoas deram sua entrada no mundo maker meu filho de 12 anos tem aula na escola com arduino e isso fez com que tivesse curiosidade sobre como as coisas são construidas e como elas funcionam.
Fiz as contas o mesmo painel de comando que ficaria quase 100 mil com clp eu conseguiria fazer o mesmo com placas dedicadas por menos da metade do preço.
Apesar de na minha vida profissinal utilizar somente CLP’s em casa tenho varias plaquinhas de desenvolvimento que eu uso juntamente com meu filho de 12 anos para brincar e fazer o mesmo com as devidas “resalvas” que os parrudos CLP’s fazem. Hj algumas plaquinhas de desenvolvimento dão de lavada em recursos em muito CLP por ai.


#2

Olá,

Dada a sua experiência, acredito que você poderia fornecer uma placa eletrônica que realizasse tal função. O que te impediu de fazer o controle do equipamento via microcontrolador?

Abraço


#3

@skullcrusher777 é isso mesmo. Entendo e diria a você que quando iniciei nesta área era muito pior.

Passei por isso assim que me formei quando desenvolvi um projeto de automação para uma marmoraria. Depois de apresentado o projeto que envolvia alguns componentes industriais (a minha parte era simples e ainda usando lógica TTL) o dono da empresa ficou surpreso com os custos de CLP e válvulas e sintetizou o espanto com uma frase “o seu Zé pode fazer isso que a máquina vai fazer, porque ele é um especialista…”.

Hoje com esse monte de informação e a diversidade de placas de desenvolvimento no mercado fica mais fácil de desenvolver qualquer coisa que a imaginação nos permitir. Ainda bem, pois não ficamos totalmente a mercê dos grandes fabricantes, mas tudo com seu devido “respeito” as necessidades do projeto.

Digo a você que não se decepcione com a automação industrial, a diversão está só começando.

Abraços.


#4

Oi boa pergunta.
Sou coordenador de projetos de engenharia ou seja sou empregado em uma empresa, mas também tenho empresa aberta porque faço muitos trampos por fora e esse era um trampo por fora na época estava com muito trabalhos e não estava dando conta da maioria dos trabalhos como boa parte dos meus trabalhos são projetos ou seja eu só preciso do computador e da cabeça sempre dei prioridade aos trabalhos em que não tenho que gastar pq se pegar para fazer tenho que comprar td e receber normalmente 30 e 60 dias depois ai não vira investir td este montante entendeu para receber bem depois…


#5

Entendi,

Caso necessite de algum equipamento do tipo, e não tenha tempo de construir, posso fornecer a um custo de cerca de 20% do valor que você orçou, dependendo da velocidade de aquisição.

Abraço


#6

Nunca trabalhei diretamente com Automação industrial, mas recentemente com meu “hobby” em arduinos tenho pensado bastante sobre este problema citado.
Quais as maiores limitações e desvantagens sobre a aplicação de microcontroladores baratos e acessiveis como os Atmel da vida VS os parrudos CLPS industriais? Será que esse supervalorização de equipamentos industriais não poderia ser drásticamente abalada por soluções com custo menor?

Outro ponto, será que não tem oportunidades de negócio nesse nicho ai? Com certeza não são todas as empresas que poderiam usar algum nível menor de automação que precisam - ou estão dispostas - a gastar tanto quanto em um projeto grande com CLPS a preços absurdos (Ainda mais no BR). Será que não seria interessante oferecer uma “opção mais viável” para alguns clientes que buscam automação mas não precisam de algo tão complicado/caro para o dia a dia?

Até hoje só ouvi falar bem de arduinos, embarcados etc. Como profissional da área vc tem alguma ressalva contra adoção deste tipo mais barato de solução?


#7

Lembrando ao pessoal que ambiente industrial é por natureza agressivo e ruidoso (eletricamente falando).
Então, realmente, eu acho que existe sobrepreço em muita coisa, mas acho que um arduino por si só não “sobrevive” (ou não funciona) em um ambiente industrial sem um monte de proteções e interfaces especiais.


#8

Como o amigo Ludicon disse o maior problema é o ambiente industrial ou seja tem muitas plantas que eu não aconselharia utilizar este tipo de solução devido a interferencia eletromagnética e o ambiente ex temperatura e etc. mas tem muitas placas com aplicação industrial como as da TORADEX são placas especificas para ambiente industrial e largamente utilizadas na industria.
Agora dada minha experiencia o que o CLP é melhor que as placas dedicadas é sua praticidade forma de programação em LADDER muito mais fácil que o C ou assembly e em determinados processos vc não precisa parar a máquina para trocar os IO’s isso pode ser feito com ela funcionando e também vc pode fazer atualização de software com o a maquina e obviamente o CLP em funcionamento e isso é muito importante por exemplo vc tem um auto forno que está a mais de 20 anos em funcionamento e se desliga-lo ele pode trincar todo, ou uma planta de processo com vários processos interligados isso é muito comum no ambiente industrial tem situações que quando vc liga determinado equipamento os cabos de alimentação chegam a se mexer a torcer devido a corrente ex motores de 200 cv para cima quando vc aciona isso pode acontecer, esse tipo de comando tem que estar bem protegido bem dimencionado agora vc me pergunta dá para ligar um motor de 200 cv com Arduino? Sim claro que dá desde que faça tudo direitinho bem dimencionado e protegido. Se vc abrir um clp o que vc acha que tem dentro? Um microcontrolador como os das placas dedicadas e muitas vezes um microcontrolador muito inferior se vc ver o processador da raspberry é foda e barato.
O CLP foi projetado para o ambiente industrial e é muito prático neste quesito, mas como dissemos anteriormente é muito caro. mas tem muitas aplicações industriais que vc pode fazer com arduino e raspberry e vao ficar ótimas. vou citar alguns exemplos.
Dá para fazer um contador de peças fácil, fácil. Alguns amigos já fizeram gerenciamento de produção de máquinas com raspberry como ele tem wifi o proprietário da empresa por meio de um supervisório web em seu escritório ou no celular sabe a produção das maquinas qual está parada ou funcionando via plaquinhas ESP8266 mais baratas que o arduino e tem wifi integrado. Como disse com o raspberry e placas arduino ou ESP8266 vc pode fazer supervição de máquinas ou controle a distancia por exemplo vc pode controlar temperatura de camaras frias a distancia via wifi hj em dia tem antenas de wifi que cobrem 1 km tranquilo ou seja dá para vc ligar bombas ou seja lá o que vc quiser a distancia. Dá para ligar pequenos dispositivos barateando os seus custos em muito com esse tipo de tecnologia.
Agora coisas que envolvem a segurança do trabalhador cito as que são cobertas pela NR-12 ai a conversa muda um pouco, pq vc está trabalhando com vida de pessoas ai nem um CLP cobre vc precisa ter CLP com redundancia intertravamentos tanto fisicos quanto via software, chaves de segurança normatizadas sensores normatizados ou seja tudo isso é muito mais muito mais caro mas ainda sim mais barato que a vida de uma pessoa. Quando fiz curso na WEG Automation de NR-12 vc aprende que muitas vezes medidas simples podem salvar a vida dos trabalhadores. agora o lado ruim é que por exemplo vc vai adaptar uma prensa excêntrica na norma NR-12 vai ficar mais caro que o valor da prensa dependendo do tamanho dela.
Uma sugestão que eu daria é vc pegar as funções básicas do CLP e fazer os códigos em C para todas elas e montar uma biblioteca porque assim quando vc precisar vc vai conseguir fazer a aplicação bem rápido ai uma das maiores desvantagens frente ao CLP vc terá vencido. Cada aplicação tem seu lugar no mercado e muitas ambas soluções podem fazer sendo uma mais barata que a outra outra já sendo mais ágil que a outra e assim vai.


#9

Um dos problemas mais comuns é a comunicação entre sensores e controlador. Já vivi situações terríveis em casas noturnas em que a iluminação é comandada a partir da cabine de som, mas os comutadores de potência ficavam em cima da pista de dança.


#10

Sim isso acontece muito devida as limitações gerais desde protocolos de comunicação a limites fisicos e etc.
Como disse acho que tem muito espaço na área de automação industrial para este tipo de dispositivo as placas dedicadas. mas obviamente cada coisa no seu lugar. Também tem muita coisa que é limitada a nossa criatividade hahahaha.
Há muitas coisinhas que podem ser automatizadas nas industrias coisas simples com soluções simples e de baixo custo.
Um exemplo um cliente expressou seguinte desejo ele tem uma linha de produção que a alimentação da linha se dá em volta de seu galpão industrial e fica um funcionario pegando os pedidos de peças nas estações de trabalho e após a lista concluida ele leva a lista ao aumoxarifado que por sua vez carrega um veiculo eletrico e leva as pecas nas estações o problema é que até o funcionario fazer o circuito todo ele demora muito tempo e muitas vezes a linha para por falta de peça.
Bem uma solução facil é um servidor feito com raspberry e várias plaquinhas esp8266 wifi em cada posto por intermédio de sensores capacitivos ou indutivos em um gabarito onde as peças caem em uma calha por gravidade conforme vão sendo utilizadas, quando estão para acabar ou seja quando tiver determinada quantia na calha de peças o sensor detectará e mandará um sinal avisando ao almoxarifado que as peças já estão se esgotando na linha que providenciará sua reposição. Bem ai está uma aplicação simples e industrial de automação uma aplicação de custo baixo e simples de ser implementada.


#11

Muito bem explicado, obrigado.
Realmente dentro do ambiente industrial e levando em conta diretrizes de segurança é sempre melhor contar com a confiabilidade de sistemas testados, robustos, seguros e especializados - mesmo eles sendo super-valorizados.

Lembro de ja ter lido algo sobre trabalhar com redundancia de processos usando arduinos, inclusive com backups do processamento (Se não me engano o experimento era ligar as próprias placas arduinos em paralelo e sincronizadas com um circuito externo de clock, permitindo que cada uma pudesse ser desligada ou reprogramada sem que o código parasse de rodar). Mas para implementação em industria obviamente é algo que deve ser testado e normatizado.

Quanto a linguagem LADDER ser mais prática que C ou Assembly. Bom, talvez isso seja questão de costume e padrão de mercado, lembro que quando estudei um pouco de CLP no curso técnico sempre penei para emplementar Ladder em alguma coisa, mas C para mim foi bem mais tranquilo.
Aliás, recentemente eu me deparei com um compilador/conversor de Ladder para microcontroladores AVR, achei super util mas como meu conhecimento em CLPs beira o zero, não fui muito a fundo neste estudo. (https://cq.cx/ladder-pt.html).