Existem "makers amadores" e "makers profissionais?"


#1

Pessoal é possível ser um “maker profissional” e viver financeiramente disto? Claro, considerando um “maker” já com conhecimento em programação avançada, eletrônica básica entre outros conhecimentos e experiências, com muita curiosidade e diariamente aprendendo e aperfeiçoando cada vez mais?
É possível com um perfil “maduro” e criativo alguém que consiga viver sendo um “maker” na própria garagem de casa projetando e criando produtos e serviços utilizando de recursos tecnológicos, ferramentas e componentes contemporâneos?


#2

Perfeitamente possivel, eu faço EXATAMENTE isso…
Só não mexo com programação, mas no mais eu desenvolvo protótipos, produzo peças/coisas que não existem, por exemplo, esses dois casos :

Só que tem um detalhe… eu estudo por conta própria faz uns 40 anos… e tenho investido pesado em equipamento e softwares nos ultimos 5 anos aproximadamente.


#3

Eu acredito que seja, pelo menos, um pouco mais fácil do que procurar um “bom emprego” sem quem indica e uma graduação bem genérica.

Recentemente, fui convocado para o concurso do Banco da Amazônia e desisti para montar minha empresa. Mas, ela vai ter várias atividades, não apenas impressão 3d.

Se foi uma boa escolha, apenas o tempo dirá.

P.S.: A melhor coisa sobre ter uma empresa é justamente você NÃO precisar ficar preso fazendo apenas uma atividade, como ficaria em um emprego.