Modelos de Negócios no universo Maker


#1

Olá Makers,

Vamos começar trocar umas idéias sobre negócios associados ao Movimento Maker?
Aguardo a participação de todos.

Abs,

Luiz Carrera


#2

Olá Fazedores,

Vamos lá… sei que estamos muito ocupados com nossas criações e aprendizados, muito trabalho e dedicação… ufffaa!!!

Mas para quem estamos desenvolvendo tudo isso? quem são essas pessoas que querem nossas invenções? que tipo de necessidades meu componente está suprindo? qual problema estou ajudando a resolver? ou estou “fazendo” porque sou apenas um “hobbysta” entusiasta?

Participem desse toró de ideias…

Abs


#3

@carrera eu pelo menos faço porque sou um hobbysta entusiasta, eu comecei a pouco mais que 1 ano e das idéias que tenho na cabeça nada está plenamente desenvolvido num estágio que eu possa liberar, mas quando estiver minimamente decente, eu vou simplesmente colocar na internet e pronto, sem muito interesse comercial.

Se uma das minhas idéias chegar a um estágio que possa render, posso abrir para doações ou algo assim, mas atualmente, não penso em criar um negócio em torno dos que eu vier a inventar e acho que a maioria das pessoas pensa desse jeito, por isso acho que a idéia do tindie.com bem legal, é mais interessante capitalizar nossas pequenas idéias desse jeito.

Os meus projetos eu sei exatamente o motivo do seu desenvolvimento e espero que ajude muito as pessoas do meu meio de pesquisa, no caso eu estou criando alguns cartuchos regraváveis de vídeo-games antigos como SNES e Mega-Drive.

Tenho também um outro projeto do qual eu não gosto de falar muito, mas ele é voltado só para software, um dia se a coisa vingar legal, eu mostro, mas por enquanto ele está num estágio muito inicial.


#4

olá @sksdutra ,

Muito legal conhecer você. A intenção é essa. Falarmos um pouco sobre esses modelos existentes. O tindie.com utiliza uma lógica muito bacana para nós os fazedores e para eles como um portal.

Em falar em cartuchos regraváveis de vídeo-games conheço um cara, o nome dele é Eric Fraga, ele produz o Cosmic Effect (https://www.youtube.com/user/CosmicEffectGaming). É um verdadeiro estudioso sobre consoles e games antigos, quem sabe ele não te ajuda de alguma forma.

Abs e até mais…


#5

Bom, se ele conhecer eletrônica, mcu’s, pld’s e principalmente manejar memórias, ele pode me ajudar sim, mas atualmente, todos os meus projetos estão parados, devido ao nascimento da minha filha que vai fazer 5 meses ainda, por isso que eu só discuto e respondo aqui, não tenho produzido nada, nem em termos de software, nos últimos meses.


#6

@carrera, seria interessante observar a sua perspectiva sobre business no omercado maker…


#7

Olha, das coisas empreendedoras simples que eu vejo relacionadas ao movimento:

  • Cursos
  • Livros
  • Revender insumos/ferramentas, mas com muita informação junto, educando o comprador

#8

Sou mais consertador do que fazedor, mas sempre procuro projetos que possam me ajudar no dia a dia e que resolvam meus problemas da maneira que eu realmente preciso.

Concordo com as idéias do @villares e creio que poderia ser adicionado o desenvolvimento e venda de kits dos projetos desenvolvidos.


#9

Sou Membro de um grupo maker, chamado Ideia Maker, trabalhamos com palestras e minicursos voltados para prototipagem e desenvolvimento com arduino. Tivemos alguns problemas relacionados a materiais e tempo mas já estamos resolvendo isso.

O grupo é de João Pessoa - Paraíba.


#10

Olá

Partindo da observação que tenho feito aqui no Fazedores e em outros sites, vejo que grande parte do conteúdo está relacionado a dúvidas dos usuários, sendo que a maioria das dúvidas são quanto aos aspectos técnicos. Assim vejo como oportunidade de negócios a educação que pode ser na forma de cursos, palestras, livros. Acredito que um requisito é que esse negócio de educação seja capaz de proporcionar conteúdo de alta qualidade, e focado na comunidade Maker.
Fato: Produzir material de alta qualidade não é barato, supõe recursos humanos com conhecimento técnico, didático(muito importante), recursos para produção (estúdio, hardware dos experimentos, câmeras, etc).
A questão: Será que a comunidade está disposta a pagar por esse conhecimento de alta qualidade?

Fica a questão para pensarmos um pouco e gostaria de ter algumas opiniões.
Abs
Marco


#11

Achei muito importante este tópico, apesar de pouco populado ainda.

Entretanto, eu cheguei aqui no fazedores, justamente por algo neste assunto.

Como uma breve apresentação, sou estudante de design digital e conheço pouco sobre eletrônica básica. Busco aprendizado em microcontroladores e microprocessadores, bem como impressão 3D e consequentemente desenvolvimento de software.

Todos estes temas de meu interesse atual, se cruzam com empreendedorismo social.
Tenho algumas ideias e conceitos que preciso tirar do mapa mental e produzir.
Neste sentido, enquanto é sempre muito difícil, quase impossível vender ideias e conceitos apenas no papel ou apresentação eletrônica, preciso me tornar um fazedor, um maker, e ao meu ver, efetivamente completar meu ciclo como designer na minha concepção. (eu acredito que o designer deve conceber, conhecer todo o processo de produção, prototipar, produzir, e então vender - não necessariamente participar como executor de todas as etapas, mas conhecer e trabalhar em conjunto)

Pretendo seguir com dois projetos em paralelo, que trabalham no modelo de negócios sociais, e essencialmente, envolvem todas estas tecnologias que citei acima e os temas como mobile app, web app, computação ubíqua, inclusão social e digital, ativismo social e sustentabilidade.

Espero que possamos trocar boas ideias por aqui. Enquanto isso, leio e aprendo com o conteúdo já existente nas demais categorias do fórum!

Abraços pessoal!


#12

Olá @andersonid,

Muito legal suas colocações. Sou maker desde sempre, só que na época não tínhamos tantas possibilidades em nossas mãos. Por força da vida parei por uns 30 anos, mas o espírito Maker estava apenas hibernando :wink:

Recentemente retomei e coloquei o fazedor de volta a ativa. Comecei um projeto que tem como principal objetivo promover o movimento Maker assim como estimular as comunidades a produzir e compartilhar conhecimento.

Batizei o projeto como H45 um Vant / Drone ( Quad ) que será Open Hardware. Como evolução natural surgiu a Robotics Brasil ( roboticsbrasil.com.br ) que já considero uma startup atuante na área da robótica; pesar de muito jovem a mesma é movida por um propósito maior e as ideias são bem desafiadoras.

Você tem razão quando diz que a melhor coisa é colocar a mão na massa. Estou fazendo isso e apesar do desgaste físico e emocional ( tudo conspira contra ) está sendo incrivelmente gratificante. Aprendo todos os dias coisa novas, estou conhecendo muitas pessoas, suas ideias e suas vidas, isso realmente não tem preço.

Muito bem-vindo ao nosso Universo Maker… e estarei aqui para ajudar no que for necessário e estiver dentro das minhas áreas de conhecimento.

Abraços!!