Registro de acesso com RFID e raspberry


#1

Bom dia/tarde/noite ou madrugada rs.

Então, tenho um projeto pensando para ser manipulado através do raspberry tanto porque tenho dois em casa parados quanto pela necessidade de mexer bastante com software creio que seja mais adequado que o arduino, me corrijam se estiver equivocado.

O sistema é para controle de quantidade de pessoas que vão almoçar/lanchar na empresa, a pessoa passa a tag RFID especifica para almoço e outra para lanche. A minha ideia atual é fazer apenas quatro tags(duas para colaboradores e duas para visitantes) e cada um que passa, registra e dá para o próximo(são mais de 200 pessoas e não é necessário registro detalhado e sim apenas geral e também para tentar evitar perda de tag).

A captação seria feita por duas formas;
via pendrive(conectar o pendrive e um autorun gravar um arquivo txt com o total do dia) e via internet, em tempo real iria mandar para um computador por que ai se o txt por algum motivo der pau vai existir o outro registro.

A minha duvida está nas seguintes questões;

1 - As vezes a rede elétrica dá algumas caídas e oscilações, colocar uma bateria nas placas independente da rede elétrica ou usar um estabilizador?

2 - Vou usar o wifi, quais as melhores maneiras para manipular esse meio de transmissão?

Se ficou muito confuso, peço desculpas e a medida do possível respondo as duvidas. Sou novo no fórum, assim que terminar o projeto posto ele completo e detalhado.


#2

Creio que o jeito mais fácil é colocar um power bank USB e ver se funciona do jeito que você quer, provavelmente vai resolver de uma forma rápida/prática/barata/eficiente.

Se for usar só o WiFi o ideal é criar um access-point com o nome do seu produto, aberto, para que a pessoa veja a rede, conecte e configure detalhes como nova senha do wifi, etc. O programa pra isso no Linux se chama hostapd

É possível que você perca mais tempo fazendo uma página de configuração pros seus usuários do que com o sistema em si, é comum acontecer.


#3

Um power bank ajuda, mas considere que o Raspberry consome em média 2A, então se for apenas pra persistência, a solução é boa.
Quanto à comunicação, provavelmente MQTT é a melhor solução, por demandar pouco código e ficar estável fácil (sem produzir bugs).


#4

Em um dos pontos, tem muito concreto e agua por perto por isso vai reter muito o wifi. Será que seria necessario mais de um wifi point? A distancia de um ponto e outro é numa media de 200 metros, 210.


#5

Nessa distâcia você não vai pegar wifi direto de forma alguma. Uma opção é esquecer o Raspberry e utilizar uma solução com rádio LoRA, como o AFSmartRadio:


Quanto a questão da Internet, você pode usar um ESP8266-01 para estabelecer a conexão com a Internet em um dos pontos e enviar para algum broker MQTT, onde outra app se encarregará de coletar os dados em tempo real.
O que você pretende envolve um conjunto de recursos e conceitos que precisam ser planejados e talvez o Raspberry fosse útil nesse projeto apenas como um broker.


#6

Poderia prosseguir mais sobre de uma maneira um pouco mais detalhada? No caso então eu teria que arrumar mais de dois repetidores? Eu tenho uns modens parados aqui, mas não são wifi…

Não entendi como iria ser usar o raspberry como broker… em qual etapa dos processos faria isso.


#7

Dá uma lida aí pra pegar os conceitos.




#8

Cara, usar Lora é meio que uma bazuca pra matar uma barata, não? Quer dizer, é bem mais caro que WiFi, tem muito menos material disponível na net, etc, mas é uma alternativa visto que o WiFi vai ter um pouco de dificuldade pra falar com alguém a 200m de distância se houverem barreiras no meio do caminho.

Eu gostaria de sugerir você continuar com o WiFi, que todo mundo tá pra lá de acostumado, e só usar uma antena de maior ganho, como essas de 8dbi que você compra em qualquer loja na Santa Ifigênia. Não sei como está a acomodação no projeto, mas se couber uma antena de 8/12/15db dá pra resolver tranquilo, se precisar mais as antenas de wifi direcionais passam fácil de 20db, mas aí pode ser que fique um pouco desajeitado e compense mais gastar um $$ e tentar a rede LoRa.

Outra coisa: Só pra argumentar a afirmação do colega DoBitAoByte: Uma Raspberry Pi dificilmente atinge 2A de consumo, normalmente as fontes do Raspberry Pi são rateadas pra 2A pra caso você queira ligar um disco rígido de notebook ou coisa parecida, o dispositivo sozinho dificilmente puxa mais de 1A, eu particularmente diria de 500 a 900mA em média, concordam?

Estou dizendo isso por que mesmo um power bank vagabundo consegue dar conta de 700mA por bastante tempo, salvo caso o circuito precise efetivamente resistir quedas de energia horas a fio, aí nesse caso você talvez precise de um powerbank melhorzinho.

Vou um pouco além, se você precisar apenas resistir oscilações, e não blecautes propriamente ditos talvez um simples supercapacitor seja mais do que suficiente pra você, se você tiver uma fonte própria o ideal é deixar ele do lado desregulado da fonte (e um cap eletrolítico comum no lado regulado), de forma a maximizar o armazenamento de energia. Um supercapacitor deve suportar alguns segundos de falta de energia, com a vantagem da capacidade dele mudar muito pouco ao longo da vida útil, diferente de baterias (qualquer tipo de bateria) que decai a capacidade com o passar do tempo. Sem falar que é um dispositivo mais compacto e menos peças pra dar problema.


#9

Opa, blz Lint?
Cara, não tem muito material sobre LoRA mesmo, mas a biblioteca RadioHead tem montes de exemplos, inclusive implementando criptografia. Hoje o LoRA tá mais popular e usar um SmartRadio com anteninha omni é mais discreto, eu acho.

Quanto ao consumo do Raspberry, varia um bocado, dependendo de N fatores, eu escrevi um artigo detalhando como medir os consumos justamente porque vi uma galera no facebook reclamando de problemas, ainda mais que essas fontes que vendem dizendo ter 2A não chega nem a pau em 2A.

Sobre o LoRA da AF SMartRadio, postei o primeiro link, acho que é um hardware legal, mas aí é outra estrutura, diferente do propósito inicial do nosso colega.

Em relação ao consumo do Raspberry (todos):

E a fonte, eu uso uma de 4.8A (2.4A por par de porta), inclusive com uma dica pra monitorar a tensão:

Mas a sua dica de colocar uma antena mais forte é bem válida, eu nunca testei, mas se der conta, ele usa o hardware que tem mesmo.


#10

Eu mandei o projeto com rasp para aprovação. A primeira parte é no administrativo então vai ser bem mais fácil por que não tem esse problema da distancia (só dos obstáculos mesmo). Porém com essas dicas to reavaliando se no outro, na parte da fabrica não mudo e monto mais de acordo com o prescrito acima, de qualquer forma está sendo um momento de muita aprendizagem da minha parte e gostaria de agradecer a todos os envolvidos.


#11

Fala DoBitAoByte, blza? Desculpa a demora…

Algumas coisas pertinentes: Existe hoje em dia amperímetros USB, pra quem é maker é um dispositivo bem útil, eu tenho um desse: http://www.dx.com/p/dual-usb-current-voltage-meter-tester-voltmeter-translucent-black-434203 , talvez isso também lhe seja útil.

Outra coisa: De fato essas fontes chinesas são uma porcaria, normalmente eles anunciam a corrente em curto-circuito (ou a ~0.2v), aí de fato a fonte se for chaveada consegue fornever 2A @ 0.2V, assim como fornece 5v em circuito aberto, logo, eles anunciam como “5V 2A”, é uma má fé enorme, mas eles tem um álibi pra isso, infelizmente o jeito é você comprar apenas fontes de confiança…