Sensor de umidade (ajuda)


#1

Bom dia/tarde/noite a todos. Peguei esse esquema na internet e fiz algumas adaptações para o uso que pretendo que detectar suor na pele, porém qdo os Eletrodos ficam em contato com a pele, mesmo qdo está seca vai esgotando a bateria e quando realmente começã a ter umidade já não tem força pra acionar o motor. Não sou do ramo, estou tentando fazer pra ajudar minha esposa que é diabética e tem frequentes crises de Hipoglicemias e qdo isso ocorre ela fica com confusão mental e nem se dá conta que está com o problema então gostaria que esse circuito pudesse avisa-la através do vibra call e assim ela poderia tomar as providencias.


#2

Boa tarde, Álvaro ! Esse esquema é muito simplificado, e “guloso” em termos de corrente.
Vou tentar localizar algo mais adequado para você.


#3

@alvarohulk,

Excelente ideia e bela observação. Digna de um inventor mesmo.

Vamos lá tentar ajudar no seu propósito.

O circuito que você apresentou é uma configuração com um alto ganho devido a montagem em cascata dos dois transistores 2n2222a. O que posso dizer é que este circuito está com uma sensibilidade muito elevada e por isso o problema relatado

Dependendo da distância dos eletrodos colocados na pele a resistência será muito baixa o que faz com que o primeiro transistor comece a conduzir. Em sequencia o segundo transistor também vai conduzir uma corrente, baixa o suficiente para não acionar o motor. Com isso a bateria vai perdendo a energia armazenada.

No caso da pele (não sou da área biomédica) a resistividade é por volta de 500k Ohm a cada metro.

Fonte: http://www.bosontreinamentos.com.br/eletronica/curso-de-eletronica/curso-de-eletronica-resistividade-e-condutividade-eletricas/

Sugiro experimentar colocando um resistor ligado ao contato negativo do eletrodo de um valor alto para reduzir a sensibilidade de entrada. Sugeri 1M mas é dificil de determinar esse valor assim de bate-pronto.

image

Acredito que a resistividade da pele vai depender de cada indivíduo e isto pode levar a necessidade de existir um ajuste na entrada do circuito e pode ser melhor usar um trimpot ou potenciômetro para ajustes (ao menos na fase de projeto/protótipo).

Um segundo ajuste também pode ser feito aumentando o valor do resistor que está ligado no primeiro transistor e ligado ao polo negativo da bateria para diminuir a sensibilidade.

Teste um por vez e sempre mantenha os eletrodos afastados sempre com a mesma distância na pele para você poder comprovar o funcionamento.

Espero ter ajudado a você e relate a evolução do projeto, será legal saber do avanço.

Abraços.


#4

agradeço muito. pois como disse não sou do ramo e não tenho ideia de como fazer modificações. Fiz eletrônica no colégio a 40 anos atrás.


#5

Obrigado pela ideia, no circuito original não havia o motor de vibra call e sim um led e havia um resistor de 1k ligando o positivo ao led , mas com o vibra não funcionava tive que tirar esse ultimo resistor


#6

os eletrodos estão distantes um do outro aproxim

adamente 2 cm


#7

Você está melhor que eu, eu aprendi na marra mesmo há mais de 40 anos.,… não tinha eletronica no meu colégio… :rofl:


#8

Eu fiz colégio técnico em Eletrônica, mas nunca exerci


#9

Não sei se tem influencia, mas como o circuito pedia uma bateria de 9v e eu queria que que ficasse pequeno o conjunto, usei 6 baterias de termometro


#10

Essas baterias não têm capacidade de corrente, Álvaro, principalmente para alimentar o motor. Se quiser mesmo miniaturizar use pelo menos baterias de lítio 2032.
Mas o ideal é partir para um projeto com tensão menor.


#11

Tem que ser pequeno pois ela terá que usar preso ao corpo o dia todo,mas não tenho ideia de como alterar os componentes para exigir uma tensão menor, vc pode me ajudar?


#12

@alvarohulk como o @Ludicon disse não rola com essas baterias.

Me passe o código do motor para que eu possa analisar as informações e talvez indicar uma bateria adequada ao seu propósito.

Abraços.


#13

Eu ganhei esse motor em um quiosque de conserto de celular, não sei de que marca de celular é, a unica coisa que está marcada na carcaça é 37B3B


#14

@alvarohulk, parafraseando…

Bom, adianto que existem pilhas de litio com tensão menor que podem ser usadas, mas não sei se o espaço vai permitir.

Dá uma olhada:

São de 3v e tem corrente suficiente para acionar o motor, mas o projeto tem que ser alterado, ou quem sabe um teste comprove o funcionamento?

Pelo código não consegui encontrar nenhuma informação, mas encontrei diversos motores desse usados em celular vendidos no MercadoLivre e pelas informações creio que o projeto vai funcionar.

Ainda estou pensando aqui em como posso ajudar e bola pra frente.

Abraços.


#15

Ok, como eu mesmo estou fazendo o case, posso adapta-lo para esse tamanho, irá deixar o conjunto mais espesso, mas se funcionar vale a pena.

Abraços


#16

eis alguns circuitinhos que pode operar em 3V:

http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/projetos-educacionais/408-detector-de-mentiras-art019

Vai exigir algumas adaptações, claro.
Considere a opção de usar um buzzer ativo (você encontra em loja de material eletronico) ao invés de um motor, o buzzer vai apitar mas consumindo uma fração da corrente do motor.

Este outro é mais elaborado, e maior, mas permite alguns ajustes e tem o altofalante integrado:

Mas você não precisa que o aparelho em si fique encostado na pele, pode construir o aparelho de forma a prender na cintura, por exemplo, e conectar apenas os eletrodos à pele.


#17

DE modo geral, procure por circuitos de “detector de mentiras” ou “medidor de resistencia da pele”, e dê preferência aos mais antigos.
Esse pessoal (como o Newton Braga) tirava leite de pedra…


#18

blz, vou tentar e testar esses exemplos que me deu. Obrigado


#19

Achei mais alguns:

http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/projetos-educacionais/3347-art463

http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/projetos-educacionais/408-detector-de-mentiras-art019


#20

image

Indicador de Umidade (CIR851)

  • Imprimir

Detalhes

Escrito por Newton C Braga

Este circuito foi publicado na revista Everyday Electronics de junho de 1977 e é totalmente viável em nossos dias, bastando trocar o transistor NPN por um BC4548 e o PNP por um BC558. A alimentação pode ser feita por tensões de 1,5 a 6,0 V. O circuito tem um par de fios descascados como eletrodos. Eles são enfiados num vaso e de acordo com o grau de umidade são emitidos pulsos pelo alto-falante. A frequência é tanto mais alta quanto mais úmida estiver a terra no vaso.