Ligar Solenóides de pinball

#1

Galera, sou meio que ignorante ainda na eletrônica e precisava da ajuda de vocês. Estou fazendo um pinball e tenho que ligar várias solenóides com o arduíno. Tenho solenóides de 50V e de 32V. Tenho um transformador já retificado com as tensões de 5V, 32V e 50V. Pensei em usar um relé porém como as tensões das solenóides são muito altas resolvi passar para outro método. Tentei usar um circuito integrado ULN2803 para executar a função de atracar as solenóides. Para garantir a máxima eficiência ia colocar um desses para cada solenóide ligando suas portas de entrada e saídas em paralelo. Então ficaria uma porta só de entrada e uma de saída. Liguei o GND no aterramento do sistema todo(que já está todo interligado), de o COM na alimentação de 32V. Para testar usei uma botoeira de 15A. Então um fio daí da alimentação de 5V, passa pela botoeira e vai para a entrada do ULN2803. Na saída do ULN2803 vai para o negativo da solenoide. O positivo da solenoide está ligada ao 32V junto com o COM do ULN2803. E o GND do ULN2803 está ligado ao aterramento. Quando apertoa botoeira o ULN2803 faz simplesmente capuft (rsrs). Ele estoura. Teve um que rachou no meio. Alguém me ajuda por favor. Vou deixar aqui um esquema que fiz. Obrigado galera.

#2

Cara de boa usa os relés não tem problema

Já cuanto ao ULN2803: Common cathode node for flyback diodes (required for inductive loads)

Precisa de um diodo ali ,já que um selenoide e uma baita carga indutiva!

#3

Assino embaixo do colega Arnold. Use módulos prontos de relê para acionar os solenóides, algo dese tipo:

image

#4

Então eu até gostaria de usar mas não encontro um módulo relé para acionar as solenóides de 32V e de 50V. Os que encontrei são somente os relés e são muito caros. Tenho 22 relés entre 32V e 50V. Estou pensando em usar um TIP122

#5

Eu vi sobre o diodo e na própria solenóide já tenho um. Até agora não entendi como não consigo fazer funcionar

#6

Esse módulo da foto custa 7 Reais no mercadolivre… ou 5 se comprar conjuntos

#7

Qual módulo…não apareceu pra mim…rsrs

#8

Esta é apenas uma das opções de compra:

#9

Minha solenóide é DC e esse relé só vai até 30VDC… infelizmente não dá pro que eu quero.

#10

Estou pensando em fazer desta forma. Alguém sabe se meus cálculos estão corretos?

#11

Bom, sendo que há 40 anos mexo com eletrônica, eu pessoalmente usaria esse relê… Mas fique à vontade para discordar

#12

Foi mal…não quis ofender…mas é que se a especificação do fabricante é até 30DC, suponho que eles teriam feito testes e por isso disse que este módulo não atende ao que eu necessito que é 32VCC e 50VCC.

#13

Não me ofende, de modo algum.
Essa especificação nos relês não é tão crítica quanto a de semicondutores. Pode acreditar, relês comuns são extremamente parrudos e aquentam muitos maus-tratos

#14

Existem duas maneiras de montar um conjunto bem forte que consiga impulsionar a bolinha.

Uma é somente eletromecânica.

Esse tipo equipa todas as máquinas mais antigas por exemplo máquinas da TAITO.

Quando vc aperta o botão, liga o circuito de potência, então 50 Vdc passam pela bobina. Porém quando a raquete chega até o fim, não podemos manter esse 50 Vdc ligado pois queimaria a bobina rapidamente. (por isso seu LM2803 está queimando)
Então entra em ação o EOS (end of stroke) que nada mais é do que essa lâmina de contato (fim de curso) ai da imagem:

No caso ela abre o circuito de potência. Tirando da bobina os 50Vdc.

Aí vc pergunta: mas como a raquete fica em pé se não tem mais os 50Vdc?
Simples. O circuito é permanentemente alimentado por uma tenção de 9Vac (vem da fonte AC mesmo mas passa por um diodo). O que é suficiente para manter a raquete em pé sem danificar a bobina.

Veja:

deger1

Quando o jogador solta o botão, os dois circuitos são desligados, pois o único caminho pra o GND é pelo botão.

Esse sistema é muito forte mesmo, a bolinha ganha muita velocidade.

Note que a área de contato da lâmina fim de curso é bem grande, lá no botão também tem que ser parrudo.

Com o tempo de uso a área de contato vai queimando. Deve ser polida com certa frequência. E isso é o grande problema desse sistema.

Não é recomendado usar micro switch e nem relês pois tem a área de contato menor.

A outra é eletrônica

Para melhorar essa questão da vida útil das lâminas fim de curso esse sistema foi redesenhado.
A maioria das máquina de hj usam o mesmo principio dos antigos. Porem a potência é controlada via transistor. Neste caso consegue usar micro switch nos botões e a lâmina fim de curso dura muito mais. A CPU faz tudo. Vê o estado do botão e se o fim de curso está aberto ou fechado.

Essa é uma placa da Wlliams:

Esse texto tirei de um manual da DataEast:

http://techniek.flipperwinkel.nl/desega/index2.htm

" Solid State Flippers (Robocop and later).
DataEast was the first company to use solidstate flippers. The solidstate design again used a single winding coil (instead of the traditional two windings, one for high voltage, and one for low voltage hold). A solidstate version of the Deger design, the single winding coil had different voltages for the initial power and the flipper hold (only one diode, a 1N4004 voltage snubbing diode, is used). When the flipper button was pressed, 50 volts DC is directed to the single winding flipper coil. After a short duration (40 milli-seconds, which is not variable), the high power is turned off and 9 volts is left to hold the flipper coil. The lower 9 volts allows the flipper button to be held, without burning the flipper coil. Note this is different than the solidstate flipper system used by Williams; which used two separate flipper coil windings (a high and low voltage winding) to achieve this."

Espero ter ajudado.
Abraço a todos

#15

Completando…

Algumas máquinas tem solenoide dupla. Alta e baixa potência. Mas o principio sempre é o mesmo.
No fim do curso os 50Vdc são desligados, ficando somente os 9Vdc para segurar a raquete em cima.

#16

Essa resposta foi perfeita!!!.. Ótimo material para mim, vai ser de grande utilidade. Obrigado @winther!!!

#17

Excelente mesmo ! Até eu já favoritei !
Obrigado !

#18

Eu como o Ludicon , ainda faria baratinho com rele , um rele commun pode ate 220 10 amp, seu valor rms e bem maior que 30vdc! Tem certeza que voce nao esta lendo a voltagem da bobina? e nao a do do contato.

Voce pode usar pra isso sem problema. A unica razão porque alguns nao usariam um rele e por desgaste de contato com o fulano falou que acontece no microswitch dele. Em em um sistemas VDC o desgate e maior que em VAC, ( mesmo assim deve durar milhares de ciclos ) mas pelo custo e facilidade de achar eu ainda usaria um rele. Vai controlar por arduino? poque nao por botao industrial mesmo?

claro pra algo tipo que vai ser vendido pra uma casa de jogo, sim usaria algo de estado solido com um transistor também, porem e overkill pra algo com uso baixo.

#19

Então, fiz o teste com uma botoeira de 250V AC 16 A e ela torrou na hora!!! Mas encontrei uma solução. Para as bobinas de 50VCC que são das palhetas que rebatem a bola, pegarei a tensão 50VAC e passarei pela botoeira de 260VAC 16A. Depois usarei uma ponte retificadora sem capacitor mesmo pra ela poder descarregar rápido e a palheta voltar mais rápido, pois são solenóides e aceitam tensão pulsante.( São as únicas que serão acionadas por botões)
Já nas solenóides de 32VCC, usarei uma ligação Darlington com TIP122 e TIP3055. Ficará assim: arduíno irá mandar 5VCC e 20mA, passará por um resistor de 10kohms e entrará na base do 122 com 2 mA. Cómo con essa corrente ele tem hfe de 1000 enviará à base do 3055 2A. O 3055 com 2A na base tem hfe de 5 então enviará 10A que é mais do que o suficiente pro que eu quero. Os transistores estão ligado em dissipadores de calor e tbm colocarei coolers para ajudar.
Vlw galera por toda a ajuda!!!

Aí tem um esquema que fiz mas em vez do arduíno está uma botoeira e em vez de uma solenóide está um motor…rsrs